COMO A PRÓPRIA EDUARDA DIZIA "MÃE TU ÉS A MINHA ESTRELA CINTILANTE"
AGORA PASSOU A SER A EDUARDINHA, A ESTRELA CINTILANTE QUE BRILHA BEM DO ALTO DOS CÉUS

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Roda decisiva da vida

A vida é uma miragem muito curta. Do nascimento à hora decisiva é um ápice. Formamos uma equipa de jogadores. Uns ganham e sobrepõem-se aos outros. Outros passam anos, décadas a fio, sobre a aparente inferioridade, sem direitos ou oportunidades iguais.
É pertinente perguntar qual a verdadeira noção de superioridade? Vimos tantos “cantores” a soletrar palavras bonitas, com as anunciadas pontuações correctas… No entanto, têm tanto para aprender com a humildade de um sorriso de uma criança pobre, com a coragem de sobrevivência de um mendigo, com o papel decisivo de quem não consegue ver portas abertas para o direito elementar do trabalho.
E vimos nas Universidades ou nos Parlamentos, nos acontecimentos culturais e afins, os conhecidos letrados, pessoas do saber, a apregoarem tantas vezes os direitos fundamentais do ser humano… Que sabem eles da vida? Que "cosmética" disfarçada fazem para até falarem de temas como a pobreza se nunca passaram por isso e o mais grave de tudo é que em muitos casos até se aproveitam da debilidade humana para ainda crescerem economicamente ou então nas suas conquistas na sociedade.
Tortura-me a aparência. Entristece-me o sentimento de superioridade. Desilude-me a injustiça.

4 comentários:

Susana disse...

Olá,

Fantático texto que a mim me diz muito...aqui está, de forma clara e abreviada, retratada a nossa sociedade actual, onde não é preciso SER mas, acima de tudo, PARECER. Hoje somos conjugados com factores da nossa sociedade que nos impõem determinadas posições que ficam completamente à margem do que seria aceitável ou do que defendemos verdadeiramente. Mas infelizmente ou seguimos esse caminho imposto ou ficamos não nos conseguimos integrar nessa sociedade que comanda a nossa vida, por muito que nós não queiremos aceitar. A vida é demasiado curta e só temos uma oportunidade para desfrutar deste universo maravilhoso, é triste pensar que não podemos viver da maneira que gostaríamos, estar com as pessoas que desejamos ou simplesmente ter as condições básicas de sobrevivencia. Havia tanto para dizer acerca deste tema, não porque eu tenha um visão critica sobre a sociedade, mas porque sou muito sensivel para estas questões sociais e humanas.

Rosario silva disse...

Ola Joaquim, esta vida é mesmo uma grande injustiça, começando pelas nossas meninas q partiram , as saudades são cada vez mais, a inês minha filha do meio partiu a um ano e meio num acidente em casa d minha irmã . a minha maior revolta é q quado ligaram para 112 não á ninguem q atenda o tlf o q m faz ficar mais revoltada é pensar q s a minha filha tivesse sido assistida a tempo poderia ainda estar aqui. por isso sei e compreendo e até m revejo nas palavras q escreve. para quê a inveja a vingança a superioridade se a vida é tão cuta e desaba quando menos esperamos

Fernanda Barata disse...

Muitas pessoas falam de cor sobre muitas coisas que não conhecem. Chama-se a isso "abelhudice", não é? Outras vezes, hipocrisia e cinismo. E outras vezes é isso tudo junto mais uma enorme carrada de tolice. Mas, ainda assim, falam e falam e falam. Por isso, um dos meus apanágios preferidos: "o silêncio profundo dos cães consola-nos das palavras fúteis dos homens". E também por isso, junto do meu pastor alemão, que obviamente não fala, vejo como ele muitas vezes compreende bem o meu estado de espírito. Presencio a companhia dele, calmo, silencioso, e vejo passar à minha frente palavras fúteis às quais nem sequer detenho atenção. Há coisas tão importantes...

cakamei disse...

Olá Joaquim...

De fato a essência das coisas tem se perdido no ego egoísta de muitas pessoas,que tentam transcrever com sua mediocre sabedoria o que é melhor para o outro... e o pior é que eles não têm a viência e nem a escuta do particular do cada um. Assim é com a política,no trabalho, em algumas religiões.... Na minha profissão me deparo com histórias marcdas por tantas injustiças,humilhações efalta de humanidade. Tenho procurado transformar odos os impactos detes atendimentos em recurso de ajuda para possibilitar que haja alguma transformção na vida dessas pessoas,e, consequentemente na minha vida, uma vez que aprendo a todo instante com essas pesoas. Não éfácil acredite, mas tenho contado muito com Deus para iluminar esse caminho e a felicidade aparece quando vejo um sorriso no rosto das pessoas de onde já sairam tantas lárimas... Deste prisma a vida ainda vale a pena e a lei da vida e de Deus mostrarãopara essas pessoas que nãoalorizam e não respeitam o quanto pequenos eles são.. Abraços para vc e a Cristina
Néia