COMO A PRÓPRIA EDUARDA DIZIA "MÃE TU ÉS A MINHA ESTRELA CINTILANTE"
AGORA PASSOU A SER A EDUARDINHA, A ESTRELA CINTILANTE QUE BRILHA BEM DO ALTO DOS CÉUS

sábado, 23 de janeiro de 2010

Todos os dias estás lá, todos os dias estaremos lá...


O segundo que escrevi o início deste texto já é passado. A memória não se apaga, muito menos perde os registos principais da nossa existência. Eduarda, expandes cada vez mais o teu Amor sobre mim. Pretendo sentir esse cheiro de alfazema, como néctar puro, da natureza genuína que és Tu. Estás direccionada para mim e eu para sempre me entregarei a toda a Tua existência. Vens ter comigo e eu aproximo-me desse mundo que continua incessantemente a dizer baixinho: AMO-TE.
É esse majestoso sentimento que me faz perder nos sonhos, levando-me a viajar ao infinito do mundo, sabendo que é contigo que sempre estarei. Todos os dias estás lá, todos os dias estaremos lá. Mesmo com a saudade, resides nos nossos dias como se cá estivesses, com todos os teus sorrisos, imensamente nossos...

2 comentários:

Anónimo disse...

A dor é imensa a saudade infinita,só quem perde alguem q ama principalmente um filho é q realmente sabe o q é.É preciso muita força para superar. muita força para si

Susana disse...

Saudade, palavra imensamente bela, intensamente sentida...Todos nós sentimos saudades, todos nós um dia seremos saudades no coração de alguem. Particularmente, a princesa Eduardinha vai permanecendo no coração de quem a ama, de quem sempre a amou, e sempre a amará, em todos os tempo verbais. Porém, a princesinha não fica por aqui, cada dia que passa a Eduardinha vai delicadamente tocando os corações de muitos seres, seres que nunca a vão esquecer, seres que por ela vão sofrer. Sofrer pela incompreenção desta partida, sofrer pela partilha desta ausencia. Joaquim, é dificil encontrar palavras para comentar tão belo texto, porque acima de tudo cada palavra proferida por ti aqui neste espaço é um misto de sentimentos sentidos, e quando assim é as palavras são muito mais do que palavras. São momentos sentidos para sempre vividos...