COMO A PRÓPRIA EDUARDA DIZIA "MÃE TU ÉS A MINHA ESTRELA CINTILANTE"
AGORA PASSOU A SER A EDUARDINHA, A ESTRELA CINTILANTE QUE BRILHA BEM DO ALTO DOS CÉUS

sábado, 21 de junho de 2008


Escrevo-te filha querida, depois de no passado dia 21 de Junho ser a data do teu aniversário. Fazias 8 anos de idade. Quatro dias depois faço eu anos, 34 Primaveras e dois Invernos, desde que te foste, no dia 18 de Maio de 2006. Vou fazer 36 anos mas só comemorei verdadeiramente 34 dos anos que tenho nesta vida.

Sabes filha, nada tinha de ser assim, mas a força de um dia te revisitar, de inventar novas formas de estar contigo, é a luta de todos os meus dias possíveis e imaginários.

Quero descobrir-te. Não desisto. Nunca desistirei. Vou galopar montanhas sem fim, percorrer desfiladeiros impossíveis de contornar, voos rasantes junto de estrelas, gritar até não poder mais… Vou e vou, irei junto dos que te amam, tocar nesses bracinhos de seda, beijar esse rosto dócil, contemplar os teus olhos doces e brilhantes, deslizar os meus dedos no teu cabelo de cristal, ouvir a tua voz que entoa a melhor canção que jamais escutei neste mundo.

Não quebro braços. Não vou abaixo com as minhas forças. Não creio que seja o fim. Não. Não é o fim. É um início de uma caminha. Confesso que por vezes me desnorteio, nem sei bem qual os caminhos a seguir. Mas uma vez mais te afirmo: não desisto filha.

Beijo de Sempre
Papá
p.s. Foto de NR

2 comentários:

penelson disse...

Nesta tua caminhada, Joaquim, para (re)descobrir a Tua (nossa) Eduarda (de e para sempre) não olhes apenas para a frente... ver-te-ás sozinho se assim o fizeres.

De vez em quando olha também para os lados... e verás que eu (e tantos outros) caminho contigo nesta (re)descoberta da Princesa.

Olha também para o Alto.
Alguém te acompanha e faz caminho contigo... e nas horas mais dificeis, sem que o percebas, pega em ti ao colo e te faz atravessar seguro as noites escuras deste teu 'inverno'.

Amanhã celebras 36 anos.
Celebra-os.
Não porventura com o champanhe e o bolo, mas com a alegria de saberes que a tua vida tem um sentido e a Eduarda faz parte de tudo o que mais deu (e dá ainda e sempre dará) sentido ao teu viver e ao teu ser...

O Homem que tu és hoje, nestes teus 36 anos, não o serias sem a Eduarda...
Nestes dois 'invernos' todos vimos 'nascer' um novo Joaquim Santos...
Temos descoberto em ti o que agora nos parece que antes estava oculto ou não existia sequer em ti... e a verdade é que nós, teus amigos, estariamos hoje mais 'pobres' se não te re-descobríssemos a ti também, como Homem e como Pai.

A Eduarda foi assim como uma «pequena semente» que caiu à Terra para que algo maior e mais belo pudesse 'nascer': TU. É em TI que ela vive, porque o Joaquim que tu és hoje, foi ela quem o 'criou'.

Aceita um abraço de Parabéns.
A Eduarda está Feliz por ti.
Sê tu também Feliz por ela!!

Nélson (o 'sapo')

Maria disse...

Caro Joaquim Manuel
Lamento a sua perda. Á perdas que não saram nem desaparecem. Os "paninhos quentes" ajudam um bocadinho.
Em situações más de perda, "faz-me bem" o texto do MEC

Que coloquei lá no meu ciber espaço http://veranuda.blogspot.com/ , a proposito deste seu blogs e outros de idêntico carácter.