COMO A PRÓPRIA EDUARDA DIZIA "MÃE TU ÉS A MINHA ESTRELA CINTILANTE"
AGORA PASSOU A SER A EDUARDINHA, A ESTRELA CINTILANTE QUE BRILHA BEM DO ALTO DOS CÉUS

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Para a Bela, muito bela

Cresço e vivo estes dias
Não encontro a solidão, nem pessoas em multidão
Vivo num misto, entre uma trovoada e um Sol
Soprando com o vento, fazendo uma canção.

Cresço como uma árvore
Com norte e desnorte
Com uma justiça injusta, numa vida curta
Contigo, ao meu lado, sou mais forte, com mais sorte.

Cresço numa liberdade
Com sucesso e insucesso
Mesmo com os exageros da vida
Ter-te comigo é o meu manifesto.

Atravessámos fronteiras impossíveis
De carro ou a nado
Os dois, juntos, com objectivos comuns
Caminhando ao som de um fado.

Gostava de saber o que mais nos espera
Nesta existência grata, mas tantas vezes farta
Várias escolas da vida nos marcam
Recordando momentos, por isso a data.

Num sopro de vida deslumbro a liberdade
Mesmo numa dor profunda, tão funda
Uma menina nos sorri sempre
E no céu, uma estrela nos junta.

A ti te devo o melhor
Que num dia nasceu, viveu
És muito mais que uma mãe
Um dom que Deus te ofereceu.

De ti nasceu uma menina
De uma Bela, nasceu a bela
Duas flores que me encantam
Uma chama que vive, cravada como uma chancela.

Joaquim Santos
Dezembro de 2009

2 comentários:

Fernanda Barata disse...

Por falta de oportunidade, não consegui deixar-vos os meus votos de Natal. Espero do fundo do meu coração que no ano novo haja o fluir nas vossas vidas de união familiar, amor, serenidade.

Um beijinho.

Anónimo disse...

Joaquim e Cristina, a vida continua, e colecionaram dois rebentos em pouco tempo.Nem todos têm essa possibilidade.Abraço.